Vinho tinto faz bem à saúde: mito ou realidade

Por J.Costa


Ouvimos dizer que uma dose moderada de vinho tinto diariamente faz bem à saúde e não somente para combater o câncer, como também para reduzir o colesterol e evitar a formação de coágulos nos vasos sanguíneos. Mas vinho tinto faz bem à saúde: mito ou realidade.

Estudos recentes questionam se vinho tinto faz bem à saúde e apontam que eles podem estar restritos apenas a vinhos caseiros ou então fabricados seguindo um modelo de produção tradicional.

Vinho tinto faz bem à saúde: mito ou realidade

Mesmo que os cientistas concordem que os vinhos tintos, consumidos moderadamente, podem ajudar a proteger o coração, prevenir o entupimento das veias e artérias e reduzir o colesterol, ainda existe divergências em relação ao que está por trás destes benefícios.

Especialistas tentaram descobrir por que o vinho tinto caseiro, fabricado no Uruguai, é tão saudável e conseguiram chegar a uma sequencia de código genético da uva Tannat, que era usada na sua fabricação. Eles identificaram uma alta quantidade de procianidina, compostos químicos encontrados nas frutas, chás, cereais, vegetais, cacau e soja que tem benefícios antioxidantes e para a prevenção de câncer, estudados há anos.

O estudo revelou que a uva Tannat contém um nível até quatro vezes maior de procianidinas do que a uva Cabernet Sauvignon. Os grandes responsáveis pelos efeitos positivos que o vinho tinto possui sobre a saúde está nos compostos, aliados aos taninos, estes combatem o envelhecimento das células.

Mas para outros cientistas, o papel do resveratrol (um composto que é encontrado na casca da uva vermelha) é ainda uma espécie de substancia milagrosa. Segundo esses cientistas, o resveratrol é um composto que pode retardar o envelhecimento e combater o câncer e também a obesidade.

Já foram realizados testes em camundongos, com resultados animadores, porém, ainda não foram encontradas evidencias sobre sua eficiência para humanos. Testes em ratos realizados na Universidade de Leicester, Inglaterra, indicaram que dois copos de vinho tinto por dia podem sim reduzir a incidência de tumores nos intestinos. Agora, os cientistas estudam uma maneira de se desenvolver o resveratrol como sendo um composto isolado para que seja ingerido individualmente como sendo uma droga de prevenção ao câncer.

Porém, para Roger Corder, Universidade Queen Mary, Londres, existe poucas evidencias sobre o resveratrol. Ele alega ser um mito que o resveratrol possua qualquer coisa em relação aos benefícios do vinho tinto para a saúde. Isso porque a maioria dos vinhos tintos tem quantidades muito insignificantes de resveratrol e mesmo aqueles que têm um pouco, ainda assim não é o suficiente.

Para Roger Corder, são as sementes das uvas e não a sua casca que contém o segredo do vinho tinto. Assim, quando a uva é fermentada por várias semanas, as sementes podem liberar flavonoides, evoluindo como moléculas mais complexas.

Se vinho tinto faz bem à saúde: mito ou realidade, depende também do tipo de consumo de cada pessoa, pois pode consumir em excesso, na hora errada do dia e ainda não se alimentar direito.

Continue lendo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.