Seu psicológico pode ajudar (ou não) no emagrecimento

Por J.Costa


O corpo humano funciona como uma máquina perfeita que pode sofrer alterações com qualquer tipo de mudança e isto é traduzido em diferentes situações como o ganho de peso sendo que neste caso o psicológico pode ajudar ou não no emagrecimento.

Esta relação direta entre o aspecto psicológico e a maior facilidade para conseguir emagrecer é justificada pelo fato de que problemas de cunho emocional e até mesmo social em seus diferentes locais de convívio levam à liberação de uma série de hormônios que aumentam a fome e estimulam um maior ganho de gordura.

Seu psicológico pode ajudar (ou não) no emagrecimento

Formas que o psicológico pode ajudar ou não no emagrecimento

Para conseguir controlar este tipo de situação podem ser feitas diversas técnicas diferentes sendo uma das práticas que oferecem mais sucesso é o chamado Método Ravenna criado pelo médico Máximo Ravenna que promete emagrecer de forma eficiente garantindo a melhoria dos aspectos psicológicos.

De acordo com seu idealizador para conseguir perder o peso em excesso de maneira adequada é preciso fazer uso de uma dieta de baixas calorias a qual irá fornecer uma quantidade menor do que a mínima necessária pelo corpo fazendo, desta forma, com que o corpo se acostume a esta nova forma de alimentação.

Além disso, para quem inicia um tratamento usando o Método Ravenna ocorre a eliminação ou ainda a restrição muito intensa de alimentos de contenham sal, açúcar, gorduras e outros aditivos químicos os quais liberam uma série de toxinas que podem levar ao ganho de peso novamente.

Com relação a esta questão a decisão vai variar de acordo com cada perfil dos pacientes sendo que aqueles os quais não conseguem segurar a vontade de comer alimentos com sal, açúcar devem ficar sem comer este tipo de alimento e já os que são mais controlados podem somente restringir o seu consumo.

Mas o grande diferencial deste tipo de atendimento feito consiste no apoio psicológico que oferecem para os seus pacientes por meio da prática de grupos terapêuticos com temáticas variadas em uma abordagem multiprofissional.

Por meio deste atendimento mais completo ocorre a mudança necessária da relação das pessoas com a comida a qual muitas vezes ocorre como uma válvula de escape dos problemas psicológicos e que com as terapias é resolvido tornando a alimentação menos compulsiva e automática gerando, assim, o emagrecimento desejado.

Desta maneira, por meio de um bom trabalho psicológico ocorre a obtenção de um maior equilíbrio dando uma sensação mais intensa de saciedade retirando, com isso, a compulsividade ao se alimentar tendo como resultado a perda de peso e a melhoria como consequência do bem-estar e auto-estima.

Portanto, com estas informações mostradas fica fácil perceber que o psicológico pode ajudar ou não no emagrecimento sendo que o uso das práticas adequadas de controle do aspecto emocional será determinante para potencializar a perda de peso com hábitos saudáveis de alimentação.

Continue lendo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.