Refrigerante diet, vontade por doces e bebida alcoólica

Por J.Costa


Dois estudos realizados com refrigerantes diet publicados esta semana chamaram bastante atenção: o primeiro afirma que esse tipo de bebida não aumenta a vontade de comer doces como afirmavam outros estudos, já o segundo é sobre a mistura de refrigerantes diet com bebida alcoólica que revela tornar as pessoas mais propensas a ultrapassar o limite da embriaguez.

Refrigerante diet

Regrigerante diet e a vontade por doces

Alguns pesquisadores haviam feito publicações sugerindo que as bebidas artificialmente adoçadas poderiam “perturbar” hormônios envolvidos nas sensações de fome e saciedade podendo assim levar algumas pessoas a comer mais. Outras publicações sugeriam que os refrigerantes diet poderiam reforçar a preferência por sabores doces.

Mas todos esses estudos caíram por terra após a publicação do conceituado The American Journal of Clinical Nutrition que comprovou que não há nenhuma relação entre os refrigerantes diet e o aumento de vontade por doces.

Os responsáveis pela condução da pesquisa avaliaram mais de 300 adultos obesos sendo que desses, dois terços foram orientados a substituírem duas doses diárias de água por refrigerante e o restante foi orientado a adotar bebidas dietéticas como a Coca Diet à vontade durante todo o dia.

Ao contrário do que se esperava, os consumidores de refrigerante diet passaram a comer menos sobremesas que os demais.

Refrigerante diet e bebida alcoólica

A pesquisa publicada pelo Alcoholism: Clinical and Experimental Research comprovou que pessoas que beberam vodca com limonada diet ficaram mais propensas a ultrapassar o limite de embriaguez, apesar de não se sentirem bêbadas.

Para a condução do estudo 16 homens e mulheres jovens receberam em três dias diferentes uma bebida com vódka e refrigerante diet e outra com vodca e refrigerante “normal” (com açúcar) sendo que ambas tinham um gosto similar. Depois disso, os participantes fizeram testes de tempo de reação e também foram questionados sobre como se sentiam, levando em consideração o nível de embriaguez.

O que se pode comprovar é que enquanto os que beberam refrigerante com açúcar estavam dentro do limite permitido para dirigir nos Estados Unidos, quem ficou com a bebida dietética excedeu o limite de segurança em pouco mais de meia hora.

Importante analisarmos também que nos testes de bafômetro os níveis de álcool no hálito atingiram seu pico 40 minutos após os voluntários terem bebido as bebidas com refrigerante diet. Quando a bebida alcoólica foi misturada com um refrigerante contendo açúcar, o nível de álcool no hálito ficou abaixo do limite legal.

Suspeita-se que o álcool foi liberado do estômago mais rapidamente por aqueles que consumiram refrigerante diet porque não havia calorias no estômago para retardar essa liberação. A concentração de álcool no ar expirado pode ser afetada por diferentes fatores sendo que o estômago com alimento pode reduzir a concentração de álcool na respiração em até 60%.

Continue lendo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.