Imposto sobre gordura

Por J.Costa


Na tentativa de incentivar melhores hábitos alimentares, a Dinamarca se tornou o primeiro país a criar o “Imposto sobre gordura”, uma tentativa de aumentar a expectativa de vida no país diminuindo o consumo de gordura saturada.

O governo Dinamarquês acredita que com tais medidas as pessoas passarão a adotar uma dieta forçada, só que bem mais saudável.

O Imposto sobre gordura é calculado de acordo com a quantidade total de gordura saturada dos produtos e estão sujeitos a cobrança todos os alimentos com mais de 2,3% de gordura saturada. Diante disso, a tributação deve ser maior nos alimentos processados, manteiga, derivados do leite e óleo.

Segundo algumas publicações de sites locais, alguns alimentos como a manteiga e derivados do leite estão 15% mais caros.

Alimentos Gordurosos

Será que foram longe demais?

A Dinamarca tem um percentual de 11% de obesos, muito inferior aos Estados Unidos com 34% e ao Brasil com 16%.

Segundo a Confederação das Indústrias da Dinamarca, isto é um verdadeiro pesadelo administrativo e possivelmente não deverá render reflexos na saúde.

Não é tão novidade

Outros países são adeptos a alimentos considerados “não saudáveis”. A Hungria foi o primeiro deles e conta atualmente com uma tributação alta para produtos polinsaturados, açúcar, sal e café.

Em breve, ao que tudo indica, a Áustria e Suíça devem seguir os mesmos passos e se juntar ao grupo.

Há controvérsias

Alguns recentes estudos afirmam que a gordura saturada não é a grande vilã da alimentação. Segundo pesquisas, sal, açúcar e carboidratos refinados são os maiores vilões da alimentação moderna.

Será que o Brasil vai adotar o Imposto sobre gordura?

Até agora nenhum deputado tocou neste assunto, mas, o Brasil tem os impostos mais caros do mundo e para aumentar ainda mais esta arrecadação não será surpresa se o Big Mac ficar mais caro em breve.

Continue lendo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.