Gordura Saturada não faz mais mal que a Polinsaturada, apontam estudos

Por J.Costa


Há muito tempo ouvimos conselhos médicos para evitar ao máximo a gordura saturada, até então tida como muito prejudicial a saúde. Isto tende a mudar, pois uma série de pesquisas e estudos apontam que a ingestão de gorduras saturadas com aconselhamento dietético não faz tão mal quanto se pensa.

Uma série de artigos científicos publicados recentemente pela revista Lipids mostram que muitas vezes um problema adquirido pelo fator genético, estilo de vida e idade acabam sendo “creditados” a gordura saturada. Deste modo, muitas vezes as gorduras saturadas e não nocivas são colocadas do lado ruim. Talvez, este seja um dos principais motivos que a maioria das dietas ricas em gorduras são associadas ao risco de doença cardiovasculares.

Para a realização dos testes foram substituídas as gorduras saturadas por outros alimentos, no entanto, esses alimentos não se mostraram melhores contra o risco de doença cardiovascular. No geral, a substituição de gordura saturada por carboidratos foi até mais prejudicial, especialmente quando a substituição foram feitas por carboidratos refinados. No caso da substituição da gordura saturada por polinsaturada, o benefício foi muito pequeno.

Os estudos da revista Lipids chegaram a conclusão que as pessoas devem se concentrar em substituir qualquer tipo de gordura por frutos do mar, frutas e hortaliças.

bacon

Outros estudos e publicações

Em 2001, David Kritchevsky sempre sustentou a ideia de que nunca se conseguiu provar que deixar de comer carne, ovos ou manteiga ajuda as pessoas a viver algumas semanas a mais.

Melina Jampolis, especialista em nutrição da CNN, fez uma reportagem na qual descreveu que em todas as pesquisas que ela tem conhecimento, os níveis de colesterol não mudam necessariamente quando a gordura saturada é substituída pelas gorduras tidas como saudáveis.

Outra publicação que merece destaque foi a publicada pela The Journal of Medicine da Holanda que aponta que uma maior importância deve ser dada aos carboidratos de alto índice glicêmico do que na gordura saturada.

Enfim, diante de tudo isso passa a ganhar mais força as dietas com baixo carboidrato e ricas em gorduras, vide a do Dr.Robert Atkins, o qual foi massacrado nos anos 70 quando reavivou a tese de que as gorduras não eram as maiores vilãs da saúde.

Continue lendo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.